Biohacking ?

by | Sep 13, 2018

Por que agora o biohacking é Trend ou uma nova moda?

Nós realmente achamos que vamos Hackear o corpo de carne , mais adaptável e cruel que o mundo já viu ? ()nós ! )

Eu sou 100% para olhar tanto atrás quanto a frente para assim avançar, bem como impulsionar hipóteses de pesquisas. MAS, não deixe que o hacking te transforme em um fragilista. Você não é um copo de vidro e mecanico para pesquisas em células, irão servir em você.

 
Por que estamos gastando tanto tempo e energia em estratégias potencialmente de baixo efeito quando as grandes pedras ainda acumulam poeira?

92% dos Estados Unidos tem baixo índice de músculos e com excesso de gordura. (não vi pesquisas recentes no Brasil ) Basta andar no aeroporto, rodoviária e mesmo dentro desta amostra de  seres humanos que coce vive em volta e poderá contar as pessoas que acumularam massa muscular suficiente em na mão ( Um determinante em longevidade , talvez um dos únicos) , todo mundo está apenas esperando a atrofia inevitável que começa aos 40 a 50.

Sono (manutenção de ritmos circadianos), nutrição (qualidade, quantidade e tempo), treinamento (qualidade e quantidade) não são sensuais, não são Trend e nem fáceis de aderir a longo prazo. Eles não têm e nunca terão uma resposta clara. Eles não são novos e alterá-los envolve muito mais esforço do que fazer o download de um aplicativo ou tomar uma pílula.

E mesmo sendo um remédio para “mil” doenças , problemas crônicos e agudos e estados psicológicos ; raros são os médicos que prescrevem e e obrigam, o paciente, afinal a pílula que o médico receitar sempre será mais fácil , com um exemplo:  ganhar massa muscular ao invés de melhorar o sono.

Além disso, se o seu hacking perpétuo e preocupação potencialmente constante lhe isola socialmente até mesmo sua família? E quanto ao estresse adicional de hipervigilância e uma mentalidade que está sempre em alerta para a próxima coisa que vai ajudar a aquietar  e mudar sua fisiologia?

Os três grandes problemas que precisamos discutir com o BioHacking são o viés de confirmação, o viés do usuário e o Placebo / Nocebo (o negativo de um placebo).

Viés de confirmação – se seu objetivo é provar algo como certo, você já violou o método científico. O ponto da ciência não é provar nada, mas eliminar tudo e ver o que resta em pé. Algum PhD, irá poder lhe dizer que isso é verbal e emocionalmente firmado por mais de 4 anos, e eu sou grato por essa mentalidade um tanto cínica e sempre pragmática e cética.

Preconceito de usuário saudável – quando você acorda e pula em um trampolin , depois em um tobogã etc.. logo que acorda! ? Normalmente, em uma condição livre, os sujeitos (individuos)  adicionarão Mais de um componente  saudável à sua vida . Isso torna insanamente difícil avaliar se a mudança foi SUBJETIVA do que você está sentindo , se é  os legumes o sono e o aumento de exercícios e movimentos etc… Hábitos saudáveis ​​tendem a cair igual a uma cascata, e  com clientes, estou constantemente tentando descobrir qual é o hábito de ancoragem ou gatilho que pode levar à ondulação para todos os  outros tipos de mudanças positivas.

E o último … poderia ser o Placebo? Claro que sim.

Na pesquisa, o efeito placebo pode chegar a 40 – 70% dos resultados, e podemos adivinhar se você “pesquisou” apenas os aspectos positivos de algum suplemento ou de um treinamento novo , você terá mais chances de  placebo e resultados subjetivos … ou mesmo objetivos.

Isso não é ruim … mas a Internet existe, então isso realmente cria MUITO ruído . As mídias sociais e a imprensa são praticamente uma tempestade constante enquanto os humanos evolutivamente amam as narrativas/histórias e o pensamento preto / branco. Essas histórias divertidas quase sempre entram em lados opostos .

O que impulsiona o efeito placebo ainda mais?
 
Pré-seleção para uma população mais maleável (ingênua).
Comunicação verbal próxima.
Toque e empatia.
Mais tempo com o pesquisador ou praticante.
Custo Financeiro = Mais Dinheiro Potencialmente Mais Placebo $$$

“O efeito placebo é algo a ser controlado na pesquisa clínica, algo para cultivar na prática clínica e algo presente em todos os encontros de cura.”
Thompson et al. 2009

 

“A empatia é um fator crítico no contexto clínico. Verificou-se que afeta positivamente os resultados de ambos os tratamentos com placebo e tratamentos bioativos ”.
– Braga-Simoes et al. 2017

Use o placebo, seja  empático, mas faça isso eticamente com grandes mudanças  que são apoiadas pela ciência, alguns vídeos extravagantes com que cospe como verdade e revolução, tudo embrulhado em uma  busca incessante de mais visualizações (uma estranha nova forma de moeda), mais controvérsia, e a próxima coisa  GRANDE e TREND que , ninguém ouviu falar ou colocou em prática  ainda.

Comentário :

Qual é a sua definição de biohacking? Eu realmente não gosto dessa palavra , assim como trend , mas eu acredito que a definição evoluiu, assim como o nossa vestimenta de carne.

Minha resposta:

Acordado. ( Awake) É apenas uma palavra, talvez  ruim na minha opinião .

Há sempre exceções e eu vi isso no fim de semana passado. Um bio-hacker auto-proclamado com uma apresentação sobre a luz , medo e o que sabemos e deixamos de saber.  Foi objetivo e eu  gostei de toda a experiência e como ele vive ELE mesmo  Sua mensagem era poderosa e factual e praticável. Eu não o chamaria de hacker, eu o chamaria de pesquisador que é o próprio “sujeito” e lidera na linha de frente.

Pin It on Pinterest